Pêpa


PÊPA (17 de Maio de 2017)
A nossa PÊPA partiu ontem à tarde para o Céu de Cão, com a idade aproximada de 11 anos. Curiosamente, precisamente em 17 de Maio do ano passado, tínhamos publicado, para reflexão, a história da PÊPA… e, se a lerem, compreenderão porque é que não é preciso dizer mais nada. Até sempre e para sempre no nosso coração, e aqui, no único lar que verdadeiramente conheceste e onde foste muito amada, querida PÊPA!

“PÊPA (SÉNIOR)
Como é que uma cadela tão grande pode tornar-se invisível? Como é que uma cadela tão grande, e com este ar de “lobinha”, pode ser esquecida durante 10 anos, no mesmo local onde pediram que fosse acolhida apenas temporariamente? Como é que nunca mais se quer saber se está bem, se precisa de alguma coisa, se… está viva? Não temos resposta… ou antes, a nossa resposta, é a PÊPA. Já está velhota, esta grande “lobinha”, que já era adulta quando veio para cá, em 2006… há 10 anos. Nunca mais vieram buscá-la. Tornou-se invisível, aos olhos de quem a trouxe, mas nós continuamos a vê-la, todos os dias. Foi esquecida por quem a trouxe, mas nós cuidamos dela todos os dias. Não tem Protectores. Quem a protege e se preocupa com ela todos os dias, somos nós, e só nós. Há 10 anos… e enquanto a PÊPA precisar. Talvez, nesta resumida história da PÊPA, esteja a resposta, também, a essa questão, tão intrigante… como é que há mais de 80 séniores, entre os cerca de 140 residentes permanentes ao cuidado do Parque da Terra Nova?!… A PÊPA acha que já entenderam… será?… “